Páginas

terça-feira, 5 de novembro de 2013

Às vezes o melhor é mesmo parar, ver e reparar, deixar que o mundo volte a girar no sentido certo e as pessoas voltem ao lugar onde pertencem. Seja mais perto ou mais longe de nós. 
Há momentos em que só desta forma aprendemos que mais vale que a vida se desconstrua, se vire do avesso e nos mude as perguntas para as respostas que julgamos ter, para depois fazermos as coisas de uma outra forma, mais forte, melhor.
O desapego treina-se. Custa, demora a interiorizar, sobretudo quando estão em causa coisas/projectos/pessoas de quem gostamos muito. Mas treina-se. E consegue-se. E faz de nós pessoas muito mais leves.

2 comentários:

Lacorrilha disse...

Podia ter sido escrito por mim, que estou a viver um momento em que o que mais preciso é desapegar-me de uma pessoa. É verdade, custa muito. Tanto. Mas vamos conseguir!

A Marafada de Algodão Doce disse...

Por vezes é mesmo necessário... por nós e pelos outros..
:)