Páginas

quarta-feira, 3 de setembro de 2014

e ainda bem que a vida muda, mudam-se opiniões, criam-se sonhos, devolve-se uma nova esperança.
mesmo que às vezes a vida nos pregue partidas é normal acontecer, são nesses momentos que percebemos a consistência da nossa força, o limite da nossa resistência, a capacidade de perdoar (e de nos perdoarmos), e como a vida pode ser deliciosamente surpreendente quando simplificamos, relativizamos e nos tornamos impermeáveis a tudo o resto.
e a vida sorri-me. e eu sorrio para ela.