Páginas

quinta-feira, 5 de janeiro de 2012

Hoje ouvi  a ofensa mais grave da boca que me devia mais respeito.
Senti o coração cair-me aos pés.
Passou-me à frente dos olhos os 9 anos que partilhámos.
Pensei na arrogância com que aquelas palavras foram ditas.
Pensei na humilhação que me tinha sido direccionada ali naquele momento.
Pensei na amargura que tenho que carregar pelas palavras que não me saiam da cabeça.

O caminho que foi trilhado tinha tudo para dar certo. Mas hoje não faz sentido.
Os objectivos não são os mesmos. As ideias não são iguais. Os pensamentos divergem.
Uma vez, duas vezes, três vezes... mas quando são muitas vezes, cansa! E questiono se vale a pena andar a tapar o sol com a peneira.

E eu que julgava que este amor era eterno. Um amor para a vida...
As atitudes trazem consequências.
Eu também não sou perfeita. tenho muitos defeitos e erro muitas vezes. Mas quando não se aceitam defeitos nem se recolhecem qualidades???

Houve muitas falhas, mas pior que haver falhas é não reconhecer que as houve. E continuar a falhar como se nada se passasse.
Faltou muita coisa, mas o pior é saber que falta mas não fazer nada, cruzar os braços.
O que eu mais quero e preciso, não tenho!
Falta a cumplicidade, falta a partilha, falta a comunicação, falta a emoção, falta a compreensão, falta o carinho, falta essencialmente o Amor.

E quando eu percebo que vivo com uma pessoa que não me está a fazer feliz? O que é que eu posso fazer?
Já dei tudo por esta relação, da outra parte não vejo o mínimo esforço.
Se bem sei, esforço e dedicação são duas palavras que não constam daquele dicionário. Pelo menos quando aplicadas ao amor e à família.
Mas sem esforço e dedicação não há União!

E isto tudo porque me foi dirigida a pior ofensa que uma mulher pode ouvir.


4 comentários:

Jo disse...

Não sei o que se passou mas sei bem o poder que as palavras podem ter... especialmente quando nos magoam conseguem ecoar muito e muito tempo (não vou dizer para sempre porque isso é muito tempo e eu sei lá se é para sempre) na nossa cabeça...

Dama das Camélias disse...

Não sei que te diga... quando não dá, não dá. Nunca deixes que te rebaixem, seja quem for!

O amor nunca é eterno, às vezes fico a pensar que nem o dos filhos por algumas situações que oiço, mas há sempre uma segunda oportunidade, eu mesma já dei tantas... e hoje sei que valeram a pena.
Nunca é fácil, força.

Beijinhos, e qualquer coisa grita :)

Sara disse...

Lamento ouvir-te fazer tais afirmações. Tenho a certeza que não as disseste sem sofrer muito!
Espero que a situação se resolva da forma que te fizer mais feliz porque isso é algo que tenho a certeza que te é merecido.
Tenta é não tomar decisões precipitadas das quais te possas vir a arrepender depois.
Um beijinho no teu coração.

Alice disse...

Lamento por tudo o que tenha acontecido. :(
Só espero que essa amargura que se sente nas tuas palavras passem o mais rapidamente que possível.

Beijo
Alice